domingo, 19 de setembro de 2010

Minha História


Fui criado em uma igreja evangélica pentecostal, me batizei muito cedo na pré adolescência, mas sempre fui evangélico por causa dos meus pais. Desde cedo sempre fui muito cético e nunca acreditei muito no que via na igreja, principalmente algumas manifestações espirituais que lá aconteciam.
Na adolescência migrei para uma igreja neo pentecostal, na busca por respostas, já que não me sentia a vontade no "clube social" a qual meus pais eram membros, apesar de me jogar na busca pelo espirito santo, por deus, etc e tal, nessa nova igreja não o encontrei... Pelo menos não da forma como é pregado na maioria das igrejas evangélicas atuais e na biblia, ele não se manifestou a mim. Fui "batizado no espirito santo" passei por vários outros "encontros com deus" que na verdade não passaram de manifestações coletivas histéricas.
Apesar da minha igreja incentivar o confissão dos pecados aos líderes acima de mim na hierárquia daquela denominação, nunca me senti a vontade de contar nada a respeito da minha vida pessoal, justamente por não crer que poderiam me ajudar, e talves essa tenha sido minha salvação.
Por isso nunca entrei em nenhum tratamento de reversão propriamente dito, apesar de ter passado por muitos momentos de conflitos espirituais "com deus", porém sozinho, jejuando, fazendo campanhas, pactos com deus, provas com deus, me mantendo afastado de televisão, rádio, internet, amigos e todo esses conselhos que sempre são dados nesses casos.
Me lembro que em muitos desses momentos, sozinho no meu quarto, orando por horas, eu chegava e me "auto fragelar", esmurrava a mim mesmo como punição por minha "fraquesa", isso se repetiu por algumas vezes depois de dias sem "pecar" seguido de "uma queda".
Quando entrei na faculdade assumi de vez minha posição cética, e como alguns dos evangélicos dizem que a letra mata a fé, foi isso que aconteceu comigo. Como me formei numa área cientifica, ficou impossível continuar conciliando criacionismo e evolucionismo e assumi uma visão menos literal da biblia.
Foi então que sai da igreja e me assumi (para mim mesmo) como bissexual e sem religião.
Na verdade ainda não sei o que é mais dificil, sair do armário sexual ou do armário religioso, uma vez que TODA minha familia é evangélica.
Quando entrei na faculdade conheci um menino que logo se tornou "meu melhor amigo", e assim como os meus pais são extremamente religiosos e evangélicos os dele também são. 
Ele é gay e os pais dele descobriram de forma um pouco trágica e precoce, não foi ele que contou. Foi ai então que ele começou um tratamento de reversão com um tal "grupo de amigos" (G.A), que trabalham prometendo uma cura para a identidade gay.
Inclusive foi orientado por uma psicóloga do G.A. (que eu ainda não consegui o nome completo e CRP para enviar uma denúncia ao CRP-RJ). Que o "proibiu" de mer ver, foi ameaçado pelos pais em retira-lo da faculdade e manda-lo ir morar com parentes em outro estado, entre outras barbaridades.
Já faz quase um ano que não mantemos praticamente mais nenhum contato, o que me incentivou a criar esse blog e buscar ajuda para conseguir ajuda-lo ou pelo menos fazer com que ele tenha acesso ao conteúdo que será postado aqui, além de compartilhar experiências com quem passa ou já passou por essa situação.

3 comentários:

Duas Mães disse...

Oi querido, vc nos add no orkut e vim aqui visitar seu blog.
Gostaria de te dizer, que... existe a possibilidade de sair do armário... e continuar crendo em Deus.
Somos envangélicas, de 1 igreja pentencostal e somos aceitas como casal... e isto aconteceu a partir do dia, que nos viram como família e nao como namoradinhas.
Tenho certeza que Deus esta presente em nossa união, e somos muito bem "conversadas e resolvidas" com Ele.
TE digo mais... não vale apena assumir ser gay deixando Deus de lado.
Saia sim do armário, saia do convivio de pessoas q te recriminam e que dizem que vc nao será salvo... Deus te ama, e só Ele conhece seu coração ! Ai está sua salvação.
Espero ter ajudado !
Beijos Mamãe Piu

Sergio Viula disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Gleydson disse...

Cara, minha história é bem parecida com a tua, só que sempre fui católico praticante e até seminarista.
O que me chamou a atenção foi tu criar o blog pra tentar levar informação à muita gente como nós, que cremos, porém, não como querem nos impor. Como você, ainda não admiti para os outros minha "condição existencial" de homossexual. E, certamente, não o farei de modo impensado nem brevemente, mas apenas para meus queridos. Gostei do seu blog porque tem informação de qualidade. Já adicionei aos meus favoritos. Grande abraço!

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...